Lá vem gripe?

Sabem quando alguém está de “mimimi” e a gente, pra mandar a pessoa arrumar o que fazer e parar de reclamar, diz: “vai lavar uma louça!” ou “vai carpir um lote!”? Pois bem, sugiro que, para variar as expressões um pouco, você diga: “vai passar um dia com os trigêmeos da Michele!”.

Brincadeiras à parte, hoje o Murilinho passou o dia espirrando e com o nariz escorrendo, anunciando, creio eu, que aí vem um baita resfriado! Com trigêmeos e uma fofurinha mais velha, vocês sabem o que vem por aí, né? Provavelmente um festival de espirros e gripe! E isso tudo apenas alguns dias após terem se recuperado de uma virose intestinal…

Essa foto representa bem nossa rotina, fala por mil palavras o trabalho que temos diariamente. Sem reclamar, claro.

10585470_686209124807214_2108749561_nEssas mamadeiras foram preparadas pelo papai em uma noite dessas, logo após ele ter dado banho na Mônica. Enquanto ela esperava, na cama, ele levar a dela, os meninos estavam comigo, minha mãe e Lurdes em uma sequência de banho-arruma-mamá. Devia ser cerca de 21h30.

Até mais!

 

A força de uma mãe

Que a vida da gente muda muito depois de termos filhos todo mundo sabe, mas nem todo mundo entende o quanto. Estava tentando me lembrar quando foi que me senti mãe pela primeira vez. Quando descobri que estava grávida da Mônica, quase dois anos após ter decidido que estava na hora de ter filhos, senti alegria e muito medo. Eu achava que estava preparada. Tive uma gravidez tranquila, com poucas intercorrências, e no dia que ela nasceu, depois de uma cesárea de emergência às 38 semanas e meia, ainda não me senti mãe. Na verdade, senti uma coisa muito estranha: medo. Nem sei do quê. Vi que minha vida ia mudar mesmo.

Conforme as coisas foram acontecendo, depois daquele período ingrato do puerpério – quando a gente não sabe mais nem quem é (saiba mais aqui) – fui me acostumando com a ideia de ser mãe e passei a me sentir mais capaz de cuidar daquele ser maravilhoso que havia gerado. E passei a realmente me sentir mãe e sentir o amor protetor incondicional que tanto tinha ouvido falar.

Quando descobri minha gravidez de trigêmeos, os medos tomaram conta de mim. Mas depois que aceitei a condição e me comprometi a ver somente o lado bom das coisas, os sentimentos negativos me abandonaram, e passei a me sentir mais forte como mãe. Afinal, eu sabia que precisava ser forte para suportar tudo que viesse, e parece que isso me deu força.

Ser mãe é um serviço diário de altruísmo. Hoje sinto que mudei muito, sinto como se tivesse amadurecido muitos anos em um. Não tenho mais medos de coisas que, antes, me assustavam muito. Credito tudo isso à vinda dos meus filhos. Ter filhos me fortaleceu, me tornou uma pessoa melhor, ainda cheia de preocupações e certos medos, mas uma pessoa bem mais segura e realizada. Nem me lembro mais como era minha vida antes, sem meus filhos, quando achava que não tinha tempo para alguma coisa ou quando me programava para passar uma tarde inteira lendo um livro. Na verdade, mãe é masoquista mesmo, adora esse “sofrimento” que é ser mãe.

Personalidade

Sempre achei que a índole do ser humano é metade genética e metade fruto do meio em que ele vive. Nunca imaginei que teria trigêmeos para confirmar isso.

Na verdade, nunca estudei muito esse assunto, mas tenho percebido comportamentos muito diferentes entre meus meninos. Eles estão sendo criados da mesma maneira, acredito que com a mesma quantidade de amor e cuidados. O que tenho percebido é que eles são, sim, muito diferentes. Enquanto o Murilo parece ser mais meigo e envergonhado, o Marcelo é brigão e brabo. O Matheus fica muito brabo e quer resolver as coisas partindo para cima! Hahahaha.

Explico: temos colocado eles juntos para brincarem sentadinhos no colchão com bastante frequência. Assim, notei diversas vezes que o Murilo adora roubar o brinquedinho do Marcelo, mas não se atreve a cutucar o Matheus. O Marcelo, por sua vez, fica muito brabo e, se não consegue tomar o brinquedo de volta, dá porrada. Na verdade, ele bota a mão aberta na cara do Murilo e espreme a cara dele. Se não alcança, tenta morder (com o único dente que tem) o braço ou qualquer outra parte do corpo. Isso foi observado por mim algumas vezes. O Matheus parece ser o “líder”, ninguém mexe com ele. Se ele quer, toma o brinquedo dos outros, que ficam só olhando. E se ele não consegue pegar o que quer, fica brabo e se dá socos no peito como um gorila. Imaginem a cena. A gente acaba rindo e deixa eles se inticarem um pouco para ver no que dá.

Individualmente, o Marcelo é o mais risonho e faceiro. Sorri com muita frequência. O Murilo é muito querido e meigo, ele olha pra gente, dá um sorriso de canto e vira o rostinho, como se estivesse envergonhado. Olha pra gente com o rosto baixo. O Matheus é bem mais sério, não sorri com tanta frequência. No nosso colo, olha bem na cara da gente. Mas claro que ele é bem alegre, podem ver tudo isso nas fotos que publico.

De forma geral, todos são queridos, calmos e fáceis de lidar, especialmente se temos visitas. Adoram sair de casa, adoram folia. Eles são apaixonantes!

DSC_0236

Essa é a carinha de desagrado do Marcelo, depois de ter sido incomodado pelo Murilo.

DSC_0237

E essa é a carinha de sapeca do Murilo, depois e ter pentelhado o Marcelo.

DSC_0238

E o Matheus estava quieto, na dele.

DSC_0245

Nasceram dois dentinhos no Murilo ontem! Quero dizer, temos acompanhado e ontem rasgou a gengivinha. Os dois de baixo. Agora todos têm dente aqui em casa. Hehehe.

Já melhoraram bem da virose, nada mais de febre, vômito ou diarreia. Passamos bem por essa. Estão dormindo muito bem de noite, uma maravilha. E fazem dois sonos longos durante o dia, todos juntos: um às 10h30 e outro às 15h30. Uma belezura.

Até mais!

Virose

Eis que os meninos pegaram uma tal virose. Na segunda-feira passada o Matheus teve diarreia, aí na terça o Marcelo vomitou e o Murilo teve febre. Imagina o meu desespero?

Aí aquele que tinha tido só vômito teve diarreia e febre. E aquele que tinha tido só febre teve diarreia e vômito. Eu com o bebê no colo vomitando e a Mônica apavorada porque ele estava fazendo bagunça. No dia seguinte, adivinhem quem também vomitou e teve diarreia e febre?

O relatório final da semana foi:

Matheus: somente um episódio de diarreia. Nenhuma medicação.

Murilo: febre (38ºC), diarreia (3 episódios) e vômito (dois episódios). Paracetamol infantil para baixar a febre, Dramin B6 e Floralyte 45.

Marcelo: febre (37,8ºC), diarreia (4 episódios) e vômito (dois episódios). Paracetamol infantil para baixar a febre, Dramin B6, Floralyte 45, dipirona pra dor. Chorou muito à noite e se contorcia.

Mônica: febre (38ºC), diarreia (3 episódios) e vômito (um episódio). Gatorade, Floralyte 45, suco de gelatina de uva. Fora que depois da primeira diarreia ela ficou com medo do cocô e não queria fazer mais. Tive que convencer a soltar (antes que escapasse por acidente e fosse o caos na terra).

Como sempre conto aqui, meus filhos são bem calminhos. Mas, olha, foi a primeira vez que senti mesmo o peso de ter quatro filhos! Foi trabalhoso e estressante, mas agora parece que já passou tudo, ufa!!

Porém, como a gente vai percebendo que pouco adianta planejar as coisas na vida (olha o exagero), a ideia de trocar os horários noturnos da babá enfraqueceu depois dessa semana de noites mal dormidas devido à virose. Vamos continuar estudando o caso, mas acho que manterei ela até o aniversário de um aninho… Sabe o que é? É que não existe coisa mais valiosa do que uma noite bem dormida. Hoje eu e meu marido cuidamos deles sozinhos o dia todo. Foi bom. Mas o fato de não termos dormido muito bem noite passada deixou a gente com menos paciência e mais cansados. O fato de os meninos estarem manhosos por causa da recente virose também. Então eu sei que se durmo melhor, cuido deles bem melhor. O bom humor de uma noite bem dormida é impagável.

Meus bebês estavam um pouco abatidos, mas tirei foto para ilustrar mesmo assim:10601164_10204286144744125_205176992_nNão estavam no melhor humor, mas agora já estão melhores.

E o Marcelinho está dando sinais de ficar em pé em seu berço. Já contei aqui como são meio preguiçosos, né? Pois acho que estão evoluindo.

10613802_10204286144544120_1950223291_n

Querido. Se segurou por uns bons minutos.

Quanto aos dentes, Marcelo teve primeiro e continua crescendo aquele, mas é o único. Matheus teve um ou dois dias depois mas já nasceram os dois frontais de baixo. Murilo está quase lá, já dá pra ver que os dois de baixo vão romper provavelmente juntos, mas ainda é cedo pra dizer que nasceram.

Até mais!

ANIVERSÁRIO DO BLOG

Hoje, dia 14 de agosto de 2014, o blog dos trigêmeos completa um ano! Nem acredito!

Quando escrevi aqui pela primeira vez, tinha tantas dúvidas e preocupações que senti muita vontade de compartilhar.

Nesse um ano de blog e quase um ano de vida dos trigêmeos, já dividi minha experiência, já pedi para outras mães me contarem as delas, já ajudei e tirei dúvidas enviadas a mim, já escrevi a minha opinião sobre tipos de parto, sobre amamentação, sobre o amor que construímos pelos filhos. Tem sido uma ferramenta excelente para mim, que me traz momentos prazerosos e muita interação com outras mães. Até saímos no Jornal Pioneiro, na Globo.com e em dois telejornais da RBS!

Manter esse blog e esse contato com outras mães e com pessoas que se interessam pelas nossas histórias tem sido maravilhoso! Gostaria de agradecer a cada pessoa que já entrou nesse site e, principalmente, àqueles que voltam para ler um pouco mais sobre a nossa vida. Quero agradecer todas as pessoas que comentaram e que ajudaram a divulgar esse blog, de uma maneira ou de outra! Muito obrigada a cada um!

E para comemorar, fiz esse vídeo “Um dia na vida”, para vocês saberem como é a nossa rotina. Esse dia até que foi tranquilo, mamãe nem papai trabalharam de tarde e puderam curtir um passeio!

E aqui colei o link dos textos que mais me diverti escrevendo:

Como tudo começou

Parto normal ou cesáreo?

Nascimento do trio

Se um já dá trabalho…

O amor e o tempo

Eu escolho amamentar

Tudo vezes três (ou quatro)

Eu mereço um abraço!

Curtam a gente no Facebook também: Os Trigêmeos da Michele

Continuem nos acompanhando!

Até mais!

Última consulta médica

Os bebês visitaram a pediatra ontem, para consulta de rotina dos 10 meses.

100_3402Matheus pesou 9,380kg e mediu 72,5cm.

100_3404 100_3406Murilo pesou 9,320kg e mediu 72,5cm.

100_3407 100_3410Marcelo pesou 9,290kg (peso final) e mediu 72cm.

Eles agora trocaram o leite de NAN Pro 2 pro Milupa 2º semestre, da Danone. O motivo foi muito simples: eu pedi um mais barato! Eles tomavam NAN desde que eram prematuros recém-nascidos mas, que bom, gostaram do Milupa, que está praticamente a metade do preço!

Estão mesmo com sapinho (candidíase oral) e estão tomando Nistatina Suspensão Oral de 6 em 6 horas. Mas não sofrem, não estão chorando. Podem ter pegado devido a quantidade de colinho que ganharam no aniversário da Mônica ou porque colocam tudo que enxergam na boca…

O resultado dos exames de sangue foi ótimo, descartamos todos as desconfianças que vinham desde o teste do pezinho.

Marcelo e Matheus ficam sentados e firmes de pé. Murilo está relutando um pouco o “ficar de pé”, mas está no caminho.

Postagem rápida, bebês chamando!

Até mais!